• Multioffice Escr. Virtual

Escritório Virtual e Coworking Pelo Mundo em Tempos de Coronavírus (COVID-19)



O rápido surto de coronavírus (COVID-19) em todo o mundo fez com que as empresas reajustassem completamente suas operações, em um esforço para impedir a disseminação e, francamente, permanecer no negócio durante esses tempos difíceis.


Como os governos de muitos países - incluindo o Brasil - ordenam que as pessoas permaneçam em casa, o maior experimento de trabalho remoto do mundo começou oficialmente.


Para a indústria de coworking, como o Multioffice Escritório Virtual, por exemplo, a pandemia global provou ser um adversário ameaçador às operações típicas, exigindo também a parada de atividades aos membros.


Para enfrentar essa tempestade incerta, os operadores de coworking estão sob pressão, assim como em outros setores, para reavaliar suas operações e criar novos modelos de negócios, práticas de alternativas e soluções flexíveis para seus membros o mais rápido possível. Em geral, a utilização do espaço sofreu uma queda drástica à medida que mais pessoas são incentivadas a ficar em casa. E, claro que tudo isso justifica, afinal de contas, não devemos facilitar no enfrentamento de uma pandemia. Em um esforço para entender melhor como a disseminação do COVID-19 afetou a comunidade de coworking e de escritório compartilhado, foi realizado uma análise na qual reuniu informações relacionadas às oportunidades que os espaços identificaram para apoiar a si mesmas e entre si durante esses tempos incertos.

CONSEQUÊNCIAS DO COVID-19 PARA O COWORKING


Uma das consequências mais óbvias do coronavírus foi o aumento maciço no número de pessoas que trabalham em casa, o que poderia potencialmente impulsionar as operações de coworking a curto prazo. No entanto, pesquisas, infelizmente, descobriu o contrário - 71,67% dos espaços disseram ter testemunhado uma queda significativa no número de pessoas que trabalham em seu espaço desde o surto. Juntamente com a diminuição da força de trabalho pessoal, 40,8% dos espaços de coworking relataram um impacto negativo nas renovações de associados e contratos desde o surto.


E 67% dos espaços sofreram uma queda no número de consultas de novos membros. Para os espaços de coworking em todo o mundo, as consequências do coronavírus são amplas e alteraram completamente a maneira como os espaços realizam negócios diariamente.


Na estudo, foi perguntado aos espaços quais são as principais consequências que eles tiveram como resultado do coronavírus e responderam com o seguinte:


  • Cancelamentos de eventos (71,04%)

  • Cancelamentos de sala de reunião / conferência (65,99%)

  • Cancelamento de inscrição (34,68%)

  • Mudança de comportamento dos membros (24,24%)

  • Fechamento do espaço (20,2%)

  • Membros doentes (8,75%)


Além disso, os espaços viram mais membros optando por trabalhar em casa, atrasos nas datas de mudança para novos inquilinos de coworking e uma mudança no fornecimento de serviços somente on-line, como edição e gravação de áudio.


Vários espaços também mencionaram que cancelaram serviços com novas inscrições e visitantes suspensos por tempo indeterminado.


ESPAÇOS ADOTAM MODELOS DE NEGÓCIOS ALTERNATIVOS

Embora essas consequências sejam ameaçadoras e altamente perturbadoras para os operadores de coworking em todo o mundo, os espaços estão encontrando maneiras únicas de lidar com os efeitos do surto de maneira positiva.


Ao reavaliar seus serviços e criar novas soluções, muitos espaços adotaram modelos de negócios alternativos, em um esforço para não apenas impedir a propagação do vírus, mas também para apoiar as necessidades atuais de sua comunidade. Nos estudos, os operadores foram questionados se haviam ajustado seu modelo de negócios ou introduzido novas práticas em resposta ao COVID-19.


Alguns dos novos espaços de modelos estão sendo integrados para ajudá-los a enfrentar a crise:


  • Políticas de cancelamento ajustadas para permitir períodos de cancelamento mais relaxados

  • Preços mais baixos para novos membros e descontos para membros atuais

  • Novas associações de estudantes para estudantes universitários que estão passando para aulas on-line

  • Novos "planos virtuais" e oferta de serviços de correio virtual, nos quais nenhuma presença física é necessária

  • Capacidade de passar os dias não utilizados para os meses futuros para membros de mesa compartilhados em meio período ou pausar a associação completamente

  • Aluguel individual de salas de reunião para reuniões virtuais

  • Eventos virtuais para membros e workshops on-line, incluindo colaborações com empresas de videoconferência

  • Parcerias com empresas locais para ajudar os membros e suas famílias, incluindo serviços adicionais por empresas de entrega de alimentos

  • Alterando estratégias de marketing para refletir um novo foco na venda de associações a escritórios particulares


Esses novos modelos de negócios mostram a adaptabilidade da indústria de coworking, que por sua própria natureza, se dedica a fornecer soluções flexíveis da maneira que for mais necessária.


E embora muitos espaços tenham decidido fechar por enquanto, os operadores flexíveis continuam positivos quanto às oportunidades potenciais que podem surgir dessa pandemia. EM CONCLUSÃO

À medida que mais pessoas procuram seus governos e empregadores em busca de orientação e direção durante esse período desafiador, ter um plano em vigor que inclua soluções alternativas ou flexíveis de coworking pode ser a melhor maneira de lidar proativamente com a incerteza subjacente.


Embora seja muito cedo para dizer se o surto de coronavírus pode forçar um movimento permanente de trabalho em casa, será interessante ver como a situação evolui nos próximos meses e como o setor de escritórios flexíveis reagirá.


Coworking: Truques Para Aproveitar ao Máximo


Somos empresa associada: Associação Nacional de Coworking e Escritórios Virtuais

ANCEV Associação Nacional de Coworking e Escritórios Virtuais

© 2018 - Multioffice Escritório Virtual | Rua Silveira Lobo, 32 - Casa Forte - Recife - PE | CEP: 52061-030