Blog Multioffice Escritório Virtual
  • Multioffice Escr. Virtual

Trabalho flexíveis podem ser uma virada de jogo para as mulheres

Atualizado: Abr 19


Olá, somos o Multioffice Escritório Virtual - endereços comerciais e fiscais, salas mobiliadas para escritório, recepção, atendimento telefônico personalizado, locais com estacionamento, sala de espera e sala de reunião. Tudo com o prestígio de quem atua desde a década de 1990 (somos pioneiros na região) e por uma fração do preço em Recife, Olinda e Paulista-PE ajudamos o seu empreendimento a se desenvolver.


Inclusive, equilibrar as demandas da vida no escritório e na vida doméstica pode ser opressor para qualquer pai que trabalha.


Mas com as mulheres gastando uma quantidade desproporcional de tempo cuidando das tarefas domésticas e de cuidar dos filhos, dados do Pew Research Center mostram que as mulheres têm mais probabilidade do que os homens de ajustar suas carreiras à família.


Como a pandemia do coronavírus continua a forçar milhões de funcionários a trabalhar em casa, os especialistas prevêem que essas opções de trabalho flexíveis podem ter vindo para ficar.


E de acordo com economistas, essas políticas podem ter um benefício positivo para as mulheres trabalhadoras, permitindo-lhes “fazer um cronograma em torno das outras responsabilidades que têm”.


Vários outros especialistas da área, discutem como as opções de trabalho flexíveis de longo prazo poderiam ser uma virada de jogo para as mulheres no trabalho e em casa.


A oportunidade para carreiras ininterruptas


Mais de 75% de todos os cuidadores são mulheres, o que significa que, além de conciliar as demandas do trabalho, grande parte das mulheres também concilia as demandas de cuidar de um ente querido. Esse trabalho não remunerado que as mulheres fazem fora da força de trabalho muitas vezes resulta em uma interrupção da carreira que tem efeitos de curto e longo prazo.


Na verdade, cerca de 31% das mulheres que interromperam a carreira depois de terem filhos disseram que não queriam, mas tiveram que fazer isso por causa da falta de flexibilidade no local de trabalho, de acordo com uma pesquisa FlexJobs de 2019 com mais de 2.000 mulheres com filhos menores de 18 anos.


Dessas mesmas mulheres, 70% disseram que era difícil para elas voltarem ao mercado de trabalho depois de tirar uma folga. Ao calcular os salários perdidos, o crescimento salarial futuro e a aposentadoria e contribuições previdenciárias perdidas, uma mulher que tira uma folga de três anos com um salário de $ 50.000 pode perder mais de $ 500.000 ao longo de sua carreira, de acordo com um estudo da MarketWatch.


“A pior escolha que você pode forçar alguém a fazer é escolher entre sua família e sua carreira”, diz o autor do best-seller e futurista Jacob Morgan. “Eu acho isso terrível.”


Morgan, que é o apresentador do podcast “O Futuro do Trabalho ”, diz que acredita que esse período de trabalho em casa provará que os funcionários ainda podem ser produtivos quando você permite que eles trabalhem fora do escritório. Ele argumenta que qualquer “organização com visão de futuro” implementará programas de trabalho flexíveis de longo prazo após a pandemia, permitindo que os pais, especialmente as mulheres, tenham horários de trabalho que acomodem suas demandas pessoais e profissionais.


“Qualquer líder que pratica empatia dirá: ‘Olha, você pode ter as duas coisas’”, diz Morgan. “Você não precisa sacrificar um pelo outro.”


Uma divisão mais equitativa do trabalho doméstico


As opções de trabalho flexível de longo prazo não beneficiarão apenas as mulheres no trabalho - também podem ser uma vantagem para as mulheres em casa.


Não será surpresa alguma se você ver mais homens começando a querer essas [opções flexíveis] também, supondo que eles aproveitem o tempo em casa com seus filhos, isso pode levar a uma divisão mais justa das responsabilidades domésticas e de cuidar dos filhos.


Em um relatório lançado recentemente intitulado ” O Impacto do COVID-19 na Igualdade de Gênero ”, economistas da Northwestern University, da University of California San Diego e da University of Mannheim explicam como a pandemia já colocou “milhões de homens em uma forma de licença paternidade forçada”, que poderia ter um“ impacto considerável ”nas famílias no futuro.


Por exemplo, lá nos EUA, com as mulheres ocupando 76% de todos os empregos na área de saúde, e 85% das funções de enfermagem especificamente, os economistas apontam como a crise de hoje tornou muitos pais trabalhadores provedores de cuidados infantis primários por enquanto.


Embora essa mudança possa ser temporária para algumas famílias, os economistas escrevem que se mais pais tiverem a flexibilidade de trabalhar em casa no futuro, poderemos ver um “aumento substancial na futura participação dos homens nos cuidados infantis”.


Mas, mesmo com alguns pais ajudando em casa, nem todas as mães que trabalham estão respirando aliviadas. Já, 14% das mulheres afirmam ter considerado deixar o emprego durante a pandemia do coronavírus por causa da pressão esmagadora para ser funcionária, professora e mãe ao mesmo tempo, de acordo com uma pesquisa recente com cerca de 1.500 funcionários da empresa de análise de RH Syndio.


Embora acordos de trabalho flexíveis não resolvam todos os nossos problemas de igualdade de gênero, é possível destacar que destaca que vimos seu impacto em outros países. Os relatórios mostram que cerca de 75% de todos os funcionários europeus têm acesso a alguma flexibilidade de horário de trabalho, com 90% dos funcionários na Holanda e países nórdicos tendo acesso a esse benefício. Como resultado, uma pesquisa da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico afirma que os países nórdicos têm “altos níveis de emprego feminino sem uma grande diferença de gênero na média de horas de trabalho semanais”.


Quem trabalha com muitos clientes que já têm acordos de trabalho flexíveis, essas políticas flexíveis não beneficiarão apenas as mulheres, mas também os empregadores que procuram recrutar e reter os melhores talentos.


A produtividade também aumenta [ao trabalhar remotamente].


Portanto, isso não é apenas uma coisa boa de se ter, mas é realmente uma coisa ótima para a economia. Seja aqui no Brasil ou em qualquer outro lugar.


Somos empresa associada: Associação Nacional de Coworking e Escritórios Virtuais